A Semana - Texto de Quinta

Margareth Tatcher, os tomates e a Coreia

Por Cristiane Oliveira

Alçado ao posto de viral - celebridade na internet, os tomates estão dando o que falar. A alta do preço faz com que os italianos tenham razão ao chamarem  o fruto de pomodoro ou seja "maçã de ouro".
A explicação é que a última safra resultou em prejuízo para os agricultores, que reduziram a área de plantio. Além de piadas e desabastecimento do fruto, aconteceram também situações curiosas, como contrabando de tomates na fronteira com a Argentina. Lá, onde são vendidos por quase metade do preço, os tomates sumiram das prateleiras. Ao contrário do estoque de abobrinhas dos defensores de Marco Feliciano, que parece não ter fim. No interior de São Paulo, agricultores estão contratando seguranças para os barracões onde estocam os pomodoros.
Mas, além das saladas, também foi assunto no mundo essa semana  a ex premier britânica Margareth Tatcher, que faleceu nesta última segunda feira ,vítima de derrame cerebral. Grupos de pessoas se reuniram em Londres e em Glasgow para celebrar a morte da Dama de Ferro, como ficou conhecida durante seus 12 anos a frente do governo britânico.
Tatcher foi primeira ministra entre 1979 e 1990. Adepta de políticas direitistas radicais, era vista como modernizadora por alguns, mas outros a viam como destruidora.Setores econômicos tradicionais viram empregos sumirem, gerando várias greves e protestos nos anos 80.
A semana termina com a perigosa movimentação de armamentos de guerra norte-coreana na fronteira com a Coreia do Sul. Na reunião do G8, que começou hoje em Londres, os  chanceleres dos 7 países mais ricos do mundo mais a Rússia, pediram que a Coreia "evite mais atos provocativos".Também devem aconselhar a alemã Angela Merkel a guardar melhor suas fotos, principalmente as que a  mostrem praticando nudismo.
Teme-se  um ataque Norte coreano na próxima segunda-feira, aniversário do avô de Kim Jong-un.
Espero que semana que vem a salada esteja menos salgada, os cadáveres estejam sepultados e os ditadores menos malucos.